Maria Vitória – a pequena bailarina

Gente… 2 aninhos e meio e ela já dança ballett! Faz posições, passinhos e tudo! Vê se eu posso com uma fofura dessas?!
E ela nos ensinando as técnicas para fazer a borboletinha (imaginem ela falando e fazendo os gestos): “Chiquééti” (na sola de um pé), “chiquééti” (na sola do outro), “guda” (junta os pezinhos) e canta a música da borboletinha. Aaiii, posso morder?!

Voltando um pouco no tempo… Lembro do meu primeiro dia de aula, aos 5 anos, quando vi um menino carequinha na minha classe. Era o Jackson (que tinha caído do segundo andar e rachado a cabeça!) que foi um dos meus primeiros coleguinhas de escola. Nos tornamos grandes amigos e acabamos estudando juntos do pré ao 2° colegial. Ele sempre foi um dos meus melhores amigos (junto com o Neto, Diego, Pedro, Kamitani…).

Lembro que demos a ele o apelido de “Jackson destroyer”, porque ele era meio muito  estabanado e vivia aprontando. Até hoje dou risada sozinha quando me lembro daquele “pipoco” no meio da aula de biologia da profª Sandra. Todo mundo se vira para trás assustado e lá está o Jackson, com os olhos arregalados, em meio à fumaça, ainda com o alicate na mão (que o Robson Bedin tinha levado na escola – não me perguntem por quê! rs) que ele tinha usado para dar um curto na tomada ao lado da carteira dele (que tinha uns fios soltos, olá segurança na escola!).

22 anos se passaram de quando conheci aquele menino carequinha que hoje construiu uma bela família! E para completar, a Maria Vitória nasceu no mesmo dia que eu, dia 8 de fevereiro! Achei o máximo!

Parabéns Jackson, pela família linda, por ter encontrado a Karina, uma mulher tão doce e bacana, e por terem feito a bailarina mais fofa do mundo!

 

 

Uma coisa que adoro na fotografia é o elemento surpresa que está sempre presente. Por mais que planejamos um ensaio, nunca sabemos ao certo como vai sair.

Por exemplo, levei os balões para prender na motoquinha elétrica da Maria. Mas, quem disse que ela quis andar na tal da motoca? (Eu sei… a culpa é toda da tia que foi te levar num parquinho, né Maria?! Motoca você pode andar todo dia na sua casa! rs). E já que ela não queria sair do balanço e do gira-gira… tive que adaptar! Se Maomé não vai até a montanha… rs

Crianças… sempre nos ajudando a desenvolver nossa criatividade e rapidez na solução de problemas… rsrs

 

  1. Carla Amaral disse:

    Renata,
    Sou irma da Karina…estou aqui babando em suas lindas fotos…”feliz daquele que consegue transmitir sensibilidade em seu trabalho”…que Deus abençoe!!! Parabens!! bjsss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *